Compromisso com a verdade dos fatos

Bem-vindo ao blog Garimpando Palavras

sábado, 15 de dezembro de 2012

EQUIPE DE GOVERNO – PREFEITA FRANCISCA MOTTA


CONSULTOR ESPECIAL PARA O FORTALECIMENTO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA, SERVIÇOS E GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA
Francisco Nunes de Almeida (Chico do SEBRAE)
Economista, Especialista em Desenvolvimento Empresarial pela Universidade da Itália, Especialista em Consultoria Empresarial e MBA em Liderança.  

CHEFIA DE GABINETE
Pedro de Figueiredo Leitão
Formado em Administração e Geografia, atuou como Chefe de Gabinete da 1º Secretaria do Estado do Acre, foi Secretario Adjunto do Governo do Estado do Acre, Diretor Administrativo do Hospital Regional de Patos. Há oito anos atua como Chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO
Charles Willames Marques de Moraes
Advogado, Especialista em Direito do Trabalho, Técnico em Contabilidade, Graduando no Curso Superior de Ciências Contábeis. Atuou como Assessor Jurídico na Procuradoria do Município de Patos, Assessor Técnico na Secretaria de Educação.

SECRETARIA DE FINANÇAS
Méryclis Batista D’ Medeiros
Advogada, Especialista em Direito Tributário com Docência. Doutoranda em Direito e Ciências Sociais. É Procuradora da Rede Ferroviária Federal (licenciada). Foi Diretora de Administração Tributaria da Prefeitura Municipal de Patos. Atualmente é Secretaria de Finanças da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA E URBANISMO
Maria Assunção de Lucena Trindade
Engenheira Civilgraduada em 1979 pela UFPB, foi Engenheira da SUPLANdurante 32 anos. Especialista em Engenharia de Avaliação e Pericia, possuilicenciatura eComputação. Foi Engenheira Avaliadora da Caixa EconômicaFederal. Atualmente é inspetora do CREA em Patos.

SECRETARIA ADJUNTA DE INFRAESTRUTURA E URBANISMO
José Marconi Santos
Técnico em Contabilidade. Atuou como Gerente de Obras e Secretário Adjunto de Infraestrutura da Prefeitura Municipal de Patos. Atualmente exerce a função de Secretário de Infraestrutura da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO
Adalmira Marques
Licenciada em História, foi Secretária de Educação em Condado-PB, Secretária de Educação em Malta-PB, Secretária Adjunta de Educação em Patos, Gerente da 6º Gerência Regional de Ensino da Paraíba. Atualmente é Secretária de Educação da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA ADJUNTA DE EDUCAÇÃO
Rita de Cássia Feitosa
Pedagoga, Mestre em Educação Especial, foi Supervisora das Escolas da Zona Rural de Patos e Coordenadora de Educação Especial. Atualmente é secretária Adjunta de Educação da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE SAÚDE
Ilanna Motta
Advogada e Funcionária Pública Federal Concursada.

SECRETARIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS
Raniere Ramalho
Atuou como Diretor de Transportes e secretário de Serviços Públicos no Governo de Ivânio Ramalho.  Atuou como secretário de Serviços Urbanos e secretário de Serviços Públicos na Gestão Nabor Wanderley. Atualmente exerce o segundo mandato de vereador na cidade de Patos.

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL
Helena Wanderley da Nóbrega
Graduanda em Gestão Publica, atuou como secretária Adjunta de Administração e secretária Adjunta de Ação Social da Prefeitura Municipal de Patos. Desde 2010 atua como secretária de Desenvolvimento Social da Prefeitura Municipal de Patos.

PRODURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO
Walber Rodrigues Motta
Advogado e especialista pela ESMA. Atuou como Chefe de Gabinete da Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba. Trabalhou na Procuradoria da Secretaria de Estado da Saúde, foi assessor jurídico do Palácio da Redenção e professor de Direito Civil na Faculdade IEP- PB. Atualmente ocupa a função de Procurador Geral do Município de Patos.  

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E HABITAÇÃO
(INDICAÇÃO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES)
  
SUB-PREFEITURA DE SANTA GERTRUDES
Vera Candeia
Atualmente exerce a função de Sub-Prefeita do Distrito de Santa Gertrudes.

COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO
Nayane Rodrigues
Comunicóloga, Jornalista DRT/PB 3349, Especialista em Assessoria de Comunicação. Atuou como assessora de comunicação parlamentar, assessora de imprensa da Secretaria de Desenvolvimento Social de Patos. Atualmente é assessora de imprensa na Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Patos.

SUPERINTENDÊNCIA DE TRÂNSITO E TRANSPORTES
Marcos Eduardo dos Santos
Atuou quinze anos como Policial do Pelotão de Trânsito – PPTRAN, na cidade de Patos. Atualmente é presidente da Câmara Municipal de Vereadores – Casa Juvenal Lúcio de Sousa, e vereador com quatro mandatos legislativos.

TESOURARIA
Maria José Monteiro
Formada em Veterinária. Foi Diretora da Junta Comercial de Patos e há oito anos exerce a função de tesoureira da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE PLANEJAMENTO
Eisenhower Alves de Brito Segundo
Formado em Veterinária. Na gestão Nabor Wanderley atuou como Secretário de Planejamento. Atualmente é secretário de Saúde da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE AGRICULTURA
Sebastião dos Santos Lima
Formado em Geografia. Membro da diretoria da Associação Comercial de Patos. Atuou como secretário Adjunto de Desenvolvimento Econômico no governo de Nabor Wanderley Filho. Atualmente é presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Patos e Região, Coordenador de Defesa Civil e secretário de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Patos.

SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE
José Gonçalves
Formado em História, concluinte do Curso de Segurança do Trabalho,vice-presidente Estadual do PCdoB, atualmente é Presidente Estadual da CTB/PB, ex-presidente do SINFENP.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Unimed é condenada a indenizar paciente a quem negou cirurgia

A cooperativa médica Unimed-João Pessoa deverá pagar danos morais a paciente por se negar a custear procedimento cirúrgico, alegando a falta de cobertura no contrato.  A decisão é da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, em sessão ordinária, ao desprover o recurso de apelação impetrado pela empresa. O colegiado manteve a sentença do Juízo de primeiro grau. O valor da indenização foi fixado em  R$ 10.000,00.
 
Consta no processo de Apelação Cível nº 200.2010.026053-4/001, que a paciente encontrava-se com problemas de locomoção e sofrendo fortes de dores. Foi diagnosticada, conforme guia de solicitação médica, a necessidade de cirurgia de vertebroplastia. Como era beneficiária do plano de saúde pleiteou o procedimento junto a Unimed, tendo sido negado, o que lhe motivou a interposição de ação judicial.
 
Na contestação a empresa Unimed reiterou que o plano de saúde do paciente não previa a intervenção cirúrgica. Sustentou ainda a impossibilidade de se aplicar ao presente caso as regras do Código de Defesa do Consumidor, por não se tratar de cláusula abusiva.
 
Para o relator do recurso. juiz convocado Aluízio Bezerra Filho, a recusa de plano de saúde para cobertura de procedimento médico a associado configura-se abuso de direito e descumprimento de norma contratual, capaz de gerar dano moral indenizável. Segundo o relator, fere o Código de Defesa do Consumidor. “Nesse norte deve ser mantida a condenação à Unimed João Pessoa, bem como a obrigação de fazer conforme decisão de primeiro grau”, pontuou.
 
parlamentopb

RCC Patos realiza campanha ‘Fazendo chover solidariedade’



Diante do período de estiagem que assola nossa região, a Renovação Carismática Católica (RCC) da diocese de Patos está realizando a campanha ‘Fazendo chover solidariedade’. O projeto consiste em abastecer pelo menos dez cisternas da Zona Rural da região de Patos.

De acordo com a presidente da RCC, Acilina Candeia, o valor pedido na campanha é de apenas R$ 10 por pessoa, pois, com a participação dos que se solidarizam, pretende-se chegar a um valor favorável para a compra dos abastecimentos dos carros-pipa.

“Nós queremos ajudar as pessoas que sofrem com as consequências da seca. Então, a campanha ‘Fazendo chover solidariedade’ acontece em prol da vida do outro por meio de uma ação de amigos. À medida que você participa você está colaborando para que possamos comprar o abastecimento de carro-pipa para irmos até a uma zona rural para abastecer estas cisternas”, explicou.

Os dados referentes às comunidades que vão receber o abastecimento serão levantados pelo PROPAC, da ação social da diocese.

Para quem deseja fazer a doação basta procurar a presidente da RCC, Acilina Candeia, através do facebook pessoal, pelo perfil do facebook da Renovação Carismática Católica de Patos ou pelo telefone 83 8843 2538, ou ainda, Deleon Souto, coordenador do grupo de oração Kairós, da Igreja Nossa Senhora da Conceição.

Após as entregas dos abastecimentos, será feita uma prestação de contas a sociedade através de um vídeo que será postado no youtube e por meio de fotografias, ou até mesmo pela imprensa local, quando ainda iremos divulgar a data da realização dos abastecimentos.

Acilene Candeia/Rádio Sertão AM

RC diz que Estado terá que gastar mais R$ 700 mil para implantar Unacon de Patos

Foto:Marcos Eugênio
O governador Ricardo Coutinho, questionado pelo pbnoticias sobre o atraso na construção da Unidade de Oncologia de Patos, disse que o projeto do Executivo estava em desacordo com o Orçamento do Estado, o que obriga o governo a gastar R$ 700 mil além do previsto anteriormente.

Essa falha foi detectada após a realização de duas licitações, as quais desertas. “Fomos analisar o porquê da não presença das empresas interessadas na obra e descobrimos essa deficiência orçamentária para cerca de R$ 700 mil a menos no projeto. Estamos corrigindo isso e vamos realizar nova licitação. Vamos construir essa unidade de oncologia em 2013”, garantiu Ricardo Coutinho

Disse que essa idéia de descentralizar os serviços de oncologia no Estado ele traz desde a campanha de 2010 e vai concretizar essa idéia que trará muitos benefícios para os pacientes do interior paraibano, que não vão precisar de locomoção para outros centros.

Marcos Eugênio


Cortador de cana chega à final de Olimpíada de Língua Portuguesa contando sonho nordestino

Entre os 152 alunos que foram a Brasília participar da final da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, o cearense Sineudo dos Santos chama atenção por destoar do estereótipo de estudante premiado. Com 23 anos e no 3º ano do ensino médio, o cortador de cana conseguiu o feito de chegar à última etapa do concurso ao falar de um assunto que ele entende muito: o "sonho nordestino".
Com a experiência de quem saiu da cidade cearense de Jardim para cortar cana em Tamboara (PR), Sineudo escreveu sobre as dificuldades e os benefícios que os migrantes do nordeste proporcionam às cidades do sul do país no artigo opinativo "O polêmico sonho nordestino em terra paranaense".
No artigo, Sineudo fala sobre o sofrimento do povo nordestino e conta o "segredo" de conhecer tanto o assunto: "Sou nordestino e sinto na pele essa polêmica... Não fossem pelas dificuldades em sobreviver em uma terra tão castigada pela seca, não deixaríamos para trás quem tanto amamos para trabalhar em terras tão distantes".
A classificação para a etapa final da Olimpíada de Língua Portuguesa chega no mesmo mês em que Sineudo completa o ensino médio. "Foi a coroação para tanta luta", afirma. Caçula de uma família de sete irmãos, Sineudo é o primeiro a conseguir terminar o ensino médio.
Em uma cidade que não tinha energia elétrica a água encanada até o ano 2000, ele foi o único que teve oportunidade de continuar na escola. Mesmo assim, a rotina era árdua. "Trabalhava batendo tijolo em uma Olaria das 7h30 às 17h30. Aí tinha subir em uma caçamba de caminhonete com mais 15 pessoas, percorrer 18 km, assistir a aula e voltar para casa. Recentemente, teve até um acidente com esse carro", conta.
Finalista teve que largar os estudos para cortar cana

Com a mão calejada do trabalho e dormindo menos de seis horas por dia, a tentação de parar os estudos sempre foi um fantasma na vida do cearense. O incentivo da família o ajudava a vencer o desejo de largar tudo. Porém, a oportunidade de sair da cidade natal o fez abandonar os estudos quando estava no 3º ano em 2009. "A vida estava muito sofrida e queria ajudar a família", se justifica.
A motivação para voltar a estudar só veio no início de 2012, quando perdeu a oportunidade de sair do corte de cana. "Tinha uma vaga de técnico de segurança e perdi porque não tinha segundo grau. Aí decidi retomar".
Para Sineudo, o momento mais difícil foi na semifinal, realizada em Belo Horizonte: "A gente tinha que escrever um artigo após um debate e pesquisa no computador. Só que eu não sei usar internet. Aí quando todo mundo foi pesquisar, eu sentei, peguei a caneta e escrevi o que tinha na cabeça. Pensei que ia perder, mas aconteceu o contrário".
Incentivo
Conciliando trabalho e estudo, Sineudo começou a estudar apenas para ganhar o diploma. Mas tudo começou a mudar com a Olimpíada de Língua Portuguesa, o texto sobre o "sonho nordestino" e as classificações nas etapas municipal, estadual e regional do concurso.  Para ele, participar é uma vitória: "com o texto, pude mostrar um pouco da vida do migrante nordestino". 
O texto acabou dando uma guinada na vida do estudante. "Quando vimos o texto dele percebemos que é único. Ele teve a oportunidade de tratar de um assunto dando o exemplo de vida dele mesmo, que saiu do Ceará porque ganhava R$ 12 por dia", diz Adriana Telles, diretora da escola de Sineudo. 
Para chegar à última etapa do concurso, Sineudo passou pela etapa municipal (com outros seis candidatos), estadual (concorrendo com 476 alunos), regional (com 127 semifinalistas) e final (com 38 alunos). Mas não ficou entre os ganhadores.
Com o concurso, o cearense ganhou uma viagem para Belo Horizonte (para as semifinais), uma para Brasília (para as finais, com direito a um tour pela cidade), um tablet, 225 reais em livros.
Perguntado sobre quais eram os "sonhos nordestinos" dele, Sineudo foi bem modesto. "Já quis sair da minha terra, comprar uma moto e até ser médico. Hoje, meu principal sonho é ter um emprego decente para que eu possa dar uma boa condição de vida para minha família", conta o, segundo ele mesmo, mais esforçado dos 152 finalistas da Olimpíada da Língua Portuguesa. 

O polêmico sonho nordestino em terra paranaense
Sineudo dos Santos*

O lugar onde vivo é uma pequena cidade do interior do Paraná com uma população de apenas 4.664 habitantes. Tamboara é uma cidade construída por mãos de muitos migrantes vindos de vários lugares do Brasil, principalmente de estados do Nordeste. De acordo com um recente levantamento divulgado pelo IBGE, o Paraná está entre os  três estados que mais perderam migrantes nos últimos anos. Mas é justamente o contrário disso que se verifica em Tamboara. Nos últimos cinco anos, o município tem recebido um número expressivo de nordestinos vindos dos estados da Bahia, Piauí e Ceará para o corte de cana.
Essa migração que ocorre aqui é a chamada migração temporária, pois os trabalhadores vêm para cá no pico da colheita da cana e depois voltam para seus estados de origem. Esse fato vem gerando polêmica entre a população tamboarense. Há aqueles que veem os novos moradores como intrusos. Argumentam que as empresas da região estão preferindo a mão de obra nordestina, tirando assim, as vagas daqueles "legítimos moradores" que trabalham no corte de cana. Porém, essa opinião não é unânime entre os cidadãos desse lugar.
Muitos tamboarenses acreditam que o aumento da população (mesmo que de forma temporária) representa desenvolvimento econômico para o município, já que esses trabalhadores da cana consomem boa parte do dinheiro que ganham no comércio local. Esse aumento de vendas do comércio é facilmente observado nos mercados, lojas, bares e lanchonetes em dias de pagamento das usinas. Os comerciantes locais afirmam que o movimento de venda tem crescido em torno de 20% de 2007 para cá.
Sou nordestino e sinto na pele essa polêmica. Há dois anos estou em Tamboara e já me considero parte dela. Defendo a ideia de que essa migração é benéfica tanto para os tamboarenses, quanto para nós, nordestinos. Não fossem pelas dificuldades em sobreviver em uma terra tão castigada pela seca, não deixaríamos para trás quem tanto amamos para trabalhar em terras tão distantes.
Há ainda outra preocupação da população com relação ao aumento de gastos nas áreas de educação e saúde por causa da migração. O vereador, e também funcionário da saúde, Ariovaldo Vieira Martinez avalia que o aumento pela procura por consultas tem aumentado em torno de 17% a 20%. Explica ainda, que esses novos moradores não aparecem nos dados do Censo, e por isso, não são contabilizadas no repasse da verba que o município recebe para área da saúde.
Sei que isso é uma realidade. Os trabalhadores nordestinos adoecem mais estando aqui por causa do ritmo intenso de trabalho e do clima mais frio que em seus estados de origem, e por isso, precisam recorrer à saúde pública. Porém, cabe aqui uma pergunta: O atendimento do SUS não é assegurado em todo território nacional? Defendo a ideia de que como brasileiros, temos direito a esse atendimento onde quer que estejamos.
Não sou especialista no assunto, mas penso que a solução para isso está nas mãos do governo federal que deveria prever que mesmo em menor número, as migrações internas no Brasil ainda continuam existindo. Portanto, os municípios brasileiros, que assim como, Tamboara, estão recebendo migrantes temporários deveriam receber verbas condizentes com suas atuais necessidades. Assim, esses trabalhadores deixariam de causar problemas para administração pública local.
Reafirmo que o nordestino é um povo sofredor. Muitas vezes, recebem uma diária de apenas 12 reais enquanto aqui, a diária é de 50. Não deixamos nossa terra porque queremos, mas por necessidade. Moramos em um país democrático. A Constituição nos permite o direito de ir, vir e morar onde são ofertadas melhores condições de trabalho para uma vida mais digna.

Cheguei nessa cidade na condição de migrante temporário. Deixei meus estudos, meus pais, minha história e minhas tradições em busca de um salário mais digno. No entanto, me encantei por esse meu novo lugar. Hoje tenho um coração dividido entre o a cidade de Jardim no Ceará e Tamboara, no Paraná. Posso afirmar com orgulho que sou cidadão tamboarense. Com a força do meu trabalho, quero progredir na vida e fazer progredir também essa terra que tanto amo.
 
Uol

PCdoB destaca necessidade de unidade para eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Patos




O Partido Comunista do Brasil-PCdoB de Patos analisa com preocupação a disputa pela presidência da Câmara Municipal de Patos, especialmente em relação aos vereadores da base aliada da prefeita Francisca Mota.

Na opinião da Comissão Política Municipal, o grande desafio no momento é manter a base dos sete vereadores eleitos, no sentido de garantir uma mesa eclética, composta  com os vereadores do PMDB, PCdoB, PR, PRB e PT, tentando ampliar com os demais partidos, desde que seja garantida a governabilidade da prefeita Francisca Mota a partir de 1º de janeiro de 2013.

O presidente do PCdoB, Roberto do MST, afirmou que se prevalecer os interesses pessoais acima do coletivo, a situação poderá perder a mesa da Câmara para a oposição, que foi derrotada no último pleito eleitoral.

Segundo Roberto, o PCdoB ofereceu o nome de Lucinha, mas no sentido de manter a base unida, tentando aglutinar outros apoios dos partidos que atualmente tem representação na Casa Juvenal Lúcio de Sousa, nunca levando em consideração o projeto pessoal em detrimento do coletivo.

Para o vice-presidente estadual do PCdoB, José Gonçalves, são preocupantes os boatos de que o vereador Fernando Jucá poderá sair da base aliada, ou a tese de independência, tentando se juntar a outros partidos que durante a campanha fizeram ferrenha oposição ao prefeito Nabor, a Francisca Mota e Lenildo na campanha eleitoral e que em nível nacional  é contra a presidente Dilma.

Na opinião de Gonçalves, o PT em Patos tem uma responsabilidade maior com a unidade do grupo, pois atualmente tem o vice-prefeito Lenildo Morais e não seria descente uma dissidência surgir do principal partido que compõe o executivo municipal.

Gonçalves enfatizou que o PCdoB mesmo não tendo garantida a vaga de vice com o ex-secretário de saúde e educação de Patos Zeca, compreendeu a importância da manutenção da aliança e se manteve firme durante todo o processo eleitoral, contribuindo com a eleição de Francisca Mota, Lenildo Morais e na coligação Renovação Popular, elegendo duas vereadoras.

No entendimento da Direção do PCdoB, os vereadores devem deixar os projetos pessoais de lado e discutir os temas de interesse da população, tais como: problema da seca, da falta  d’água, da violência que reina no município, dos problemas da saúde, educação, do desemprego, da falta de moradia, dentre outros.

A orientação dada pela direção municipal a vereadora eleita será nesse sentido, de garantir a unidade da base aliada e levar para a casa os grandes temas de discussão de problemas que interessa ao povo patoense.

PCdoB

Sindicato da Construção Civil confirma falta de mão de obra em Patos


Genival Junior
Foto:Marcos Eugênio
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção civil de Patos e Região-SINTRINCIM, Raimundo Nonato do Nascimento, confirmou nesta sexta-feira, 14, estar faltando mão de obra qualificada na região de Patos.
Raimundo informou que pelo menos cinco a seis novas construtoras fizeram avaliação do mercado imobiliário de Patos, com vistas a construir imóveis na cidade, mas esbarraram na falta de trabalhadores qualificados para poder estabelecer o canteiro.
De acordo com o sindicalista, somente nesses casos específicos, o município está deixando de gerar de 300 a 350 empregos formais com carteira assinada, não incluindo a demanda reprimida, caso de outras obras que seriam atraídas para o município devido à expansão do mercado.
Segundo informações do Ministério do Trabalho e Emprego, o município de Patos cresceu este ano 400 empregos a mais de janeiro a outubro desse ano, em relação ao mesmo período do ano passado, o equivalente a 96,61%.
Em relação ao saldo de vagas no mercado formal, Patos tinha de janeiro a outubro de 2011 um saldo de 74 empregos formais, que era o resultado de 414 contratações e 340 demissões.
Em 2012, o saldo é de 222 contratações, sendo 814 empregos gerados de janeiro a outubro, contra 592 demissões, um crescimento proporcional de exatos 200%.  
Para o presidente do Sindicato da Construção Civil, Raimundo Nonato do Nascimento, o resultado ainda é satisfatório, apesar do setor poder estar em situação ainda mais avançada, se não fosse à falta de trabalhadores. “O resultado é positivo, mas o nosso espaço de crescimento é muito maior”, disse Raimundo.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Carminha Soares é eleita presidente do SINFEMP com 95,3% dos votos válidos



A nova presidente do SINFEMP- Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, Carminha Soares, foi eleita com 95,3% dos votos válidos dos servidores associados à entidade sindical.

A eleição ocorreu nos dias 10 e 11 deste mês em Patos, Malta, Condado, Vista Serrana, São José de Espinharas, Várzea, São Mamede, Santa Luzia,São José do Sabugi, Junco do Seridó, Quixaba, Cacimba de Areia, Passagem, Areia de Baraúnas, Salgadinho, São José do Bonfim, Mãe D’água, Santa Terezinha, Emas, Catingueira e Olho D’água para um mandato de três anos.

A Chapa eleita “Pra Avançar na Luta” é composta por 24 servidores, destes 18 são mulheres, com representação de diretores de todos os municípios da base territorial.

Para a nova presidente da entidade, a principal luta no momento vai ser garantir o pagamento do 13º salário até o dia 20 de dezembro por parte de todos os prefeitos, assegurando também o pagamento do mês de dezembro até o dia 30 do referido mês.

Carminha pretende ainda realizar no mês de janeiro de 2013 a reunião de planejamento da nova Diretoria, que culminará com um seminário mais amplo com a participação de todos os diretores de Patos e Região.

O presidente da Comissão Eleitoral José Ilton afirmou que a eleição transcorreu dentro da normalidade e que apenas os funcionários de creches não puderam votar em sua totalidade, pois já estavam de férias.

Sinfemp



Arquivo do blog